domingo, 17 de janeiro de 2016

CARTA ABERTA AO POVO SERRINHENSE

Meus amigos e minhas amigas de Serrinha dos Pintos.

Até a presente data, eu, Chiquinho de Ana, não havia me manifestado sobre os últimos acontecimentos políticos que eclodiram em nossa cidade. Mas a condição de homem público me exige adotar uma postura compromissada com as famílias serrinhenses, em especial com aquelas que acreditaram no nosso projeto político de dar continuidade à administração na qual estive na frente durante os períodos de 2005/2008 e 2009/2012. A decisão de assumir um papel político é desafiadora, porém arriscada. Requer da gente muita coragem e, em particular muita sabedoria. Às pessoas do meu convívio em nenhum momento deixei dúvidas quanto a minha postura política. Hoje venho esclarecer a toda sociedade Serrinhense minha postura pessoal. Reporto-me dessa forma porque fui eleito em 2005, apoiado pelo grupo do Ex-Prefeito Luizão, grupo este do qual fazia parte na época e que com quem tenho laços familiares. Todavia ao tomar posse e assumir o Executivo Municipal, tive que conviver com o Ex-Prefeito Luizão comandando a administração que tinha sido confiada a mim, através do voto, pelo povo. Minha postura sempre foi, e sempre será, até que me obriguem a agir diferente, uma postura de diálogo e, quatro meses após ter assumido a gestão do nosso município, conversei com Luizão e Madrinha Nenem e naquela oportunidade propus que me fosse dada a oportunidade de gerir a cidade, porque o direito eu já possuía, apesar de não exercê-lo até então. Em outras palavras, eu era prefeito de direito, mas não de fato. Naquela conversa, eu apenas pedi para que me deixassem cumprir o meu papel, e uma vez concluído o período para o qual eu havia sido eleito, eu apoiaria o nome que ele, Luizão, indicasse. Acontece que Luizão não aceitou qualquer tipo de acordo e, diante do quadro que se instalava, eu precisei decidir entre ser leal com as pessoas que me confiaram o mandato, ou ser grato com a família que me ajudou a ser eleito. Confesso que foi a decisão mais difícil de ser tomada em toda minha vida. Não é fácil romper laços com quem amamos. Até hoje tem sido complicado administrar essa situação. Há preços a pagar que são demasiado elevados. Mas a vida é assim, às vezes, nos prega peças como essa. Também não posso aqui dizer que fiz a escolha mais acertada, o que posso afirmar é que fiz a escolha que minha consciência mandou. E não me arrependo. O respeito pelo povo, a verdade e a honestidade não podem ser dobrados em função de interesses pessoais. Hoje, muitos dos que me criticam, foram aqueles que mais me aconselharam a romper com o Ex-Prefeito Luizão e sua família. Muitos desses foram além, com fortes pressões. Fato muito diferente do que acontece hoje na nossa cidade. A população de Serrinha dos Pintos vivenciou a grande luta que travei, tanto dentro do grupo político que liderava, quanto fora dele, com os munícipes, para aceitarem o nome de Rosânia Teixeira como a candidata da situação. Recebi naquela época duras críticas e fortes pressões, mas em momento algum esmoreci, apesar da fragilidade física e psíquica na qual me encontrava, pois como todos sabem fui acometido meses antes com uma pancreatite aguda. Sai da cama para as ruas. Defendi o nome de Rosania com todas as minhas forças. Afinal, foram longos doze anos de convivência – quatro na Câmara Municipal, como Tesoureira, enquanto estive na frente daquela Casa Legislativa e oito na Prefeitura, como Secretária de Finanças, enquanto estive como Prefeito Municipal. Aos poucos Rosânia conquistou minha confiança e o meu respeito, tanto assim que recebeu toda a minha ajuda para chegar ao Executivo Municipal. Gostaria muito de estar mobilizando as lideranças e o povo do nosso município para marcharmos unidos para a sua reeleição, mas infelizmente, não posso apoiar um projeto político que não foi coerente, que não teve respeito com quem lhe conduziu ao cargo que hoje ocupa. Compartilho da opinião de que não devemos aceitar nunca que nos desrespeitem ou que nos ignorem. Não se trata de egoísmo ou sede de poder. Se egoísta fosse, eu teria procurado interferir na gestão da Prefeita Rosânia Teixeira. Isso Chiquinho de Ana jamais fez. O que Chiquinho de Ana fez, foi assistir, com muita tristeza e decepção, uma administração absolutamente improvisada, com um secretariado sem autonomia para nada, um projeto político autoritário, movido pela vaidade, orgulho e interesses pessoais. Não é novidade para nenhum cidadão ou cidadã Serrinhense, que enfrentamos um pleito difícil, o mais difícil de todos os tempos, onde patrimônios foram danificados, famílias separadas, e até vidas foram tiradas, e hoje o que testemunhamos é a aliança da gestora com todos aqueles que tudo fizeram, para que a mesma não fosse conduzida ao cargo de chefe do executivo municipal, e mesmo depois de eleita, continuaram agindo para que lá, ela não permanecesse. Quem não está lembrado dos três angustiosos processos de cassações? Então gostaria de deixar bem claro, que Chiquinho de Ana não traiu ninguém. O meu maior patrimônio é o povo. Quem não lembra quando por mais de uma vez, publicamente, pedi a Rosânia para cuidar do nosso povo? E fui mais além, quando também em praça pública, assumi o compromisso de resolver qualquer situação, quando esta não fosse atendida pela prefeita. E foi assim, ao longo desses três anos e quinze dias. Mesmo com poucos recursos financeiros, nunca deixei de ajudar a quem me procurava, desde que estivesse dentro das minhas possibilidades. E tudo que fiz, foi com o que é meu. Diferente da prefeita, que tudo que faz é com verba pública e por obrigação funcional. Rosânia não traiu apenas Chiquinho de Ana, Rosânia traiu o povo que lhe conduziu ao cargo de chefe do executivo municipal. Eu cumpri minha parte no que foi pactuado, mas Rosânia não. E estou muito tranquilo em relação a isso. No último dia 05, Rosânia exonerou o meu primo Dedé da Serrinha, no sábado, dia 10, o meu filho Rennê Paulo e no dia de hoje me exonerou dos cargos comissionados que ocupávamos. Todos nós seus eleitores. Essas exonerações, assim como outras, que saberemos que acontecerão, só demonstram a quebra de compromisso e a deslealdade da prefeita Rosânia Teixeira. Mas acredito no propósito de Deus em nossas vidas e confio que o pão de cada dia não há de nos faltar. Parafraseando o saudoso Leonel Brizola “A política ama a traição, mas abomina o traidor”. Atacar os companheiros de uma vida toda que agora descobriu “divergir” são atitudes que qualquer pessoa de boa-fé não pode acolher como gestos dignos, mas resultado de um caráter fraco e flácido. Se o problema foi o de eu não ter apoiado seu projeto de reeleição, pelo que tem mostrado ressentimento, vê-se que andei bem ao preteri-la, pois hoje posso afirmar que não sei em que se transformou a Rosânia Teixeira que eu conhecia. São visíveis as falhas morais que agora exibe. Hoje a máquina administrativa vive num mundo de intrigas e favoritismos, onde princípios, coerência e seriedade começam a escassear. Quem se posiciona com o silêncio covarde de suas convicções, tem medo da discordância e da crítica, acaba por gerar uma neutralidade falsa e perigosa. Rosânia está assim, simples assim. Ou quem não lembra, e até já não foi vítima do seu silêncio, da sua frieza e da sua falta de posicionamento. É bem o estilo da gestora de ser. E esse é o tipo de comando que pode continuar a levar o nosso município ao encontro de um cenário de incertezas e retrocessos. Afinal estamos no final da sua administração e até agora ela não conseguiu sequer concluir as obras que deixei. O que de fato estamos presenciando é um governo marcado por escândalos de corrupção em níveis nunca vistos, um verdadeiro carnaval de queixas e denúncias. Por último, com a responsabilidade que tenho para com a minha família, meus amigos e toda a população Serrinhense, afirmo que jamais daria apoio a um projeto político tão questionado por todos, e que fique muito claro, não compartilho com o descaso e com o desrespeito com que a Prefeita vem maldosamente humilhando e maltratando nossa sociedade. Estou aberto a construir um grande arco de aliança com todas as forças políticas contrárias a esta reeleição, a fim de derrotarmos um projeto político autoritário, egoísta, sem transparência e que carrega no perfil um alto grau de desconfiança por parte da nossa gente. Não será a falta de comprometimento de alguns que irá acabar com a minha coragem de continuar a bem servir meus conterrâneos e minhas conterrâneas, bem como as pessoas que aqui residem. Muito obrigado. Que Deus nos abençoe nessa batalha. Um grande abraço a todos.

Chiquinho de Ana
Ex-Prefeito Municipal

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Solicitamos aos senhores que ponderem nos comentários evitanto colocar em constragimentos a pessoa ao qual os senhores e senhoras irão fazer seus comentários.